Vieira já sabe quanto terá de desembolsar para garantir regresso de Jorge Jesus – O Jogo

Já decorrem conversas, ainda informais, entre o líder das águias e o técnico, mas já foram abordados números e os que Vieira terá de colocar em cima da mesa terão de igualar os auferidos no Brasil

Luís Filipe Vieira está a conduzir o processo que levará à contratação de um novo treinador e, embora desenvolva contactos com vários nomes, alguns sonantes, tem a mira apontada a Jorge Jesus, ao ponto de já saber, segundo O JOGO apurou, quanto tem de gastar por cada ano de contrato que venha a assumir com o ainda técnico do Flamengo.

O bolo completo, que inclui a totalidade da equipa técnica que com ele trabalha no Brasil, aponta para uma despesa do Benfica a rondar os 12 milhões de euros, que espremidos pelos impostos significa um encaixe final de cerca de 6,5 milhões de euros.

Esta é a primeira conclusão das conversas entre o presidente e o treinador, num cenário que implica um custo multiplicado por três em comparação com a equipa técnica até há poucos dias chefiada por Bruno Lage. Significa ainda que, de momento, não haverá qualquer diferença ou desconto na “fatura” porque os referidos 6,5 milhões de euros são a verba que é recebida, em termos líquidos, atualmente por Jorge Jesus e seus colaboradores mais próximos, que o acompanharão.

Ainda não decorreram conversações concretas entre Vieira e Jesus, mas é certo que esta é a fasquia financeira a igualar e que completa a disponibilidade de Jesus para regressar ao Benfica, mediante a concretização de algumas condições. O treinador de 65 anos quer ter um plantel forte, que lhe permita suplantar a concorrência interna, mas também deixar marca na Europa, o que obrigará o presidente das águias a abrir mais os cordões à bolsa.

Porém, e como noticiámos, ainda falta conseguir a liberdade do técnico, que assumiu junto do seu plantel e das suas principais figuras, que iria permanecer para vencer de novo o Brasileirão, a Taça Libertadores e vingar a derrota na final do Mundial de Clubes. Aqui, os efeitos da pandemia poderão dar o empurrão que falta, dado que a reativação dessas competições é uma incógnita e, caso não voltem, poderá anular esse acordo informal, que o Flamengo pretende ver cumprido.

Esta indefinição levou Luís Filipe Vieira a contactar outros treinadores, como foi o caso, anteontem, de Jorge Sampaoli, do Atlético Mineiro, e já tinha feito com Marco Silva, Mauricio Pochettino e Unai Emery, todos eles livres atualmente.

Flamengo lembra compromisso

O Flamengo não pretende perder Jesus e o líder do clube, Rodolfo Landim, frisou ontem as garantias deixadas pelo técnico luso. “O que ficou acordado foi que o trabalho vai ser levado adiante até ao final desta temporada. Esse compromisso não foi assumido entre Jesus e o Flamengo instituição, foi algo que ele criou no próprio grupo de jogadores e na equipa técnica, o que torna isso ainda mais forte”, realçou, na “Fla TV”, destacando que para si “mais vale a palavra e o olho no olho” do que “o contrato ou a cláusula de rescisão para sair”.

Share:

Geef een reactie