Preço dos bilhetes de avião dispara. Comboio e autocarros mais baratos – Jornal de Notícias

Os preços dos bilhetes de avião aumentaram quase 9% em 2019 face ao ano anterior. Foi a variação mais elevada da classe de bens e serviços entre os dois anos. Os dados foram revelados ontem pelo Instituto Nacional de Estatística (INE) que confirmou o valor de inflação nos 0,3% para o conjunto do ano.

Na lista dos bens e serviços que viram os preços subir mais, seguem-se os “seguros relacionados com transportes” (7,3%), as hortaliças (5,3%) e os serviços financeiros (4,1%), esta última podendo estar relacionada com as subidas nas comissões cobradas pela banca.

O INE destacou, ainda, “a evolução dos preços das rendas de habitação, com uma variação média de 3,2% em 2019”, quando no ano anterior o aumento tinha sido de 1,9%.

Já os cabeleireiros agravaram ligeiramente os preços em 1,4%. Também com subidas ligeiras o abastecimento de água (1,3%), o pão (0,8%) e o café (0,3%).

Os dados desagregados do gabinete nacional de estatística permitem perceber os preços que subiram e também os que desceram de um ano para o outro.

Os que mais desceram

Se o preço dos bilhetes de avião foram os que mais dispararam, o dos comboios e autocarros registaram as maiores descidas. Trata-se de uma consequência direta da redução dos preços dos passes. “É possível constatar uma aceleração de preços até abril de 2019, seguida de uma desaceleração, em parte como consequência da redução de preços verificada nos passes dos transportes públicos implementada em abril”, assinalou o INE.

Ainda na mobilidade, o preço das bicicletas registou uma quebra de 5,4% no preço entre 2018 e 2019.

Também no caso das comunicações houve uma queda acentuada dos preços devido a uma decisão. “A classe das comunicações registou uma forte diminuição de preços em maio de 2019, influenciada pela entrada em vigor dos limites de preços para comunicações entre países da União Europeia”, indica a nota divulgada ontem pelo Instituto Nacional de Estatística.

A travar a variação anual da inflação destacou-se ainda “a descida dos preços da eletricidade verificada em janeiro, cujo efeito nas taxas homólogas se manteve durante os 12 meses do ano (variação média de -4,2%)”. Ainda na classe da energia, o gás registou uma variação média de -0,2%.

Mais importante para o comportamento dos preços no ano passado foi a variação na classe do vestuário e calçado, com uma queda de 2,5% e 4,5%, respetivamente.

O leite, o queijo e os ovos ficaram mais baratos (-1,6%). A cerveja também (-0,8%). Já o vinho ficou mais caro 2,5%.

Share:

Geef een reactie