Portugal passa os 250 mil casos de covid-19 e acumula mais 62 mortos – Jornal de Notícias


Portugal somou o terceiro dia consecutivo com mais de seis mil casos de covid-19 e ultrapassou as 250 mil infeções desde o início da pandemia. Mais 62 óbitos registados.

Em termos de óbitos, há mais 62 anotados nas últimas 24 horas, para um total de 3824. Das vidas perdidas nas últimas 24 horas, o Norte chora por mais 24 pessoas (1783 no total) e 23 na Região de Lisboa e Vale do Tejo, que já perdeu 1401 pessoas por causas associadas à covid-19.

A Região Centro perdeu mais nove vidas, de um total de 487 desde o início da pandemia, enquanto no Alentejo há mais cinco óbitos, para um acumulado de 94. Num dia em que a morte por covid-19 tocou todo o território continental, há mais uma vítima fatal no Algarve (42 no total).

Nas ilhas, não há registos mortais recentes. Nos Açores perderam-se 15 vidas, a última a 12 de maio, e na Madeira duas, a mais recente no dia 9 de novembro.

Nos hospitais a pressão diminuiu, com menos 54 internados (3025 no total), mas os doentes a inspirar mais cuidados são agora 485 (mais quatro).

Há mais 6379 recuperados da doença, um dos registos diários mais elevados de sempre, que aumenta para 169379 o número de pessoas que superaram a covid-19.

Contas feitas, há mais 31 casos ativos da doença em Portugal, para um total de 82767, e mais 112 pessoas em vigilância, num acumulado de 80521.

Números redondos que dão que pensar

Os números redondos são sempre uma oportunidade de reflexão. De pensar que os doentes, muitos com mazelas para o resto da vida, são mais do que isso, que um somatório de unidades numéricas. No caso, desde 2 de março, 255970, contas deste sábado.

Números redondos, engrossados na última semana, que registou seis dos sete dias com mais de seis mil casos, os últimos três consecutivos, entre os quais está o máximo de sempre: 6994, na quinta-feira.

A Região Norte, a mais afetada na primeira vaga, é também a mais atingida pela segunda onda, que cavalga sem fim à vista: nas últimas 24 horas, segundo o boletim da Direção-Geral da Saúde, a região mais setentrional do país anotou 4070 novas infeções, o equivalente a cerca de 62% do total nacional de 6472.

A Região de Lisboa e Vale do Tejo, maior do país e segunda mais atingida, somou o quarto dia seguido com mais de 1500 casos positivos. Com mais 1534 infeções, 23% do total, acumula 88139 infeções desde o início da pandemia.

O Centro, muito afetado na primeira vaga, também está a ser penalizado pela segunda onda, apresentado registos de notificações superiores aos dos primeiros meses da pandemia no país. Este sábado são mais 656, para um acumulado de 24376.

No Alentejo foram registados mais 97 novos casos de covid-19, totalizando 5.057. A região do Algarve tem hoje notificados mais 57 casos de infeção, somando 4.606 casos e 42 mortos desde o início da pandemia.

Na Região Autónoma dos Açores foram registados 48 novos casos nas últimas 24 horas, somando 761 infeções e 15 mortos desde o início da pandemia (os dados regionais indicam 16 mortos).

A Madeira registou mais 10 novos casos entre sexta-feira e sábado, contabilizando-se no total 759 infeções e dois óbitos.

Os casos confirmados distribuem-se por todas as faixas etárias, situando-se entre os 20 e os 59 anos o registo de maior número de infeções.

O novo coronavírus já infetou em Portugal pelo menos 112.961 homens e 138.276 mulheres, de acordo com os casos declarados.

O boletim refere que há 4.733 casos confirmados de sexos desconhecidos que se encontram sob investigação, uma vez que estes dados não são fornecidos de uma forma automática.

Do total de vítimas mortais, 1.967 eram homens e 1.857 mulheres. O maior número de óbitos continua a concentrar-se nas pessoas com mais de 80 anos.

A pandemia de covid-19 provocou pelo menos 1.373.381 mortos resultantes de mais de 57,5 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Share:

Geef een reactie