Mensagem para Boris: “não use a morte do meu filho para promover a sua propaganda vil” – Jornal de Notícias

David Merritt não gostou da reação do primeiro-ministro britânico e candidato do Partido Conservador nas eleições legislativas inglesas à morte do filho, Jack Merrit, de 25 anos, no ataque na Ponte de Londres esta sexta-feira.

O pai de uma das vítimas mortais do ataque na Ponte de Londres, esta sexta-feira, usou as redes sociais para mostrar o seu desagrado perante o que considera ser um “aproveitamento político” do primeiro-ministro britânico.

David Merrit, segundo o jornal “Independent”, acusa Boris Johnson de usar o incidente terrorista para justificar um possível agravamento das políticas policiais e judiciais do Reino Unido.

“Não use a morte do meu filho para promover sua propaganda vil. Jack era contra tudo o que você representa“, escreveu o pai de Jack Merrit, que morreu aos 25 anos, após ser esfaqueado por Usman Khan, que foi morto a tiro pelas autoridades após esfaquear cinco pessoas.

Além de Jack Merrit, Saskia Jones, de 23 anos, foi também uma das vítimas mortais. Mais três pessoas ficaram feridas.

O jovem fazia parte de um programa de reabilitação de detidos, “Learning Together”, que usava a história de Usman Khan como um caso de sucesso. O autor do ataque fez parte, na tarde de sexta-feira, desta mesma conferência sobre reabilitação de reclusos, organizada pela Universidade de Cambridge.

O pai de Jack partilhou uma série de publicações no Twitter para alertar para o uso do ataque terrorista como instrumento de campanha política por parte do Partido Conservador.

Algumas horas após o ataque, David Merrit escreveu mesmo na sua conta de Twitter que o filho “não gostaria que sua morte fosse usada como pretexto para mais sentenças draconianas ou para deter pessoas desnecessariamente”.

Após o ataque, Boris Johnson comprometeu-se a rever o regime de liberdade condicional no Reino Unido, depois de se saber que Usman Khan tinha sido condenado em 2012 por crimes de terrorismo.

“Todos os crimes terroristas e extremistas devem ter cumprimento integral da sentença proferida pelo juiz: esses criminosos devem cumprir todos os dias da sua sentença, sem exceção”, disse o ainda primeiro-ministro. “Deem-me uma maioria e eu proteger-vos-ei do terrorismo”, acrescentou.

O ataque terrorista na Ponte de Londres na passada sexta-feira entrou na campanha política ao ponto de se trocarem argumentos em torno do que cada partido deveria ter feito no que toca às penas de terrorismo quando estiveram no poder.

“Nenhum Governo consegue impedir todos os ataques”, mas “pode tomar medidas para tornar esses atos terroristas menos prováveis”, argumentou, acrescentando que “o foco deve estar na polícia e nos serviços sociais”, afirmou Jeremy Corbyn, líder do Partido Trabalhista.

Share:

Geef een reactie