Luxemburgo atribui às comunidades portuguesa e cabo-verdiana “muitas” das novas infeções de Covid-19 no país – Observador

O aumento dos casos de infeção com Covid-19 na comunidade lusófona, como a portuguesa e a cabo-verdiana, no Luxemburgo, está a deixar preocupadas as autoridades de saúde daquele país, segundo o jornal local Lux24. De tal forma que, na segunda-feira, o governo do Luxemburgo, representado pela ministra da Saúde, Paulette Lenert, vai dar uma conferência de imprensa para “sensibilizar” as comunidades lusófonas que vivem no país.

Segundo o jornal, na semana passada, o Luxemburgo viu o número de casos de Covid-19 aumentar fortemente — foram registados 325 casos entre 26 de junho e 4 de julho. Ao jornal, fonte oficial disse que “muitas” dessas infeções (não contabilizou quantas) foram registadas entre portugueses, cabo-verdianos e restante comunidade lusófona. Entre as causas apontadas estão viagens de e para o estrangeiro e festas privadas ou familiares.

Além da presença da ministra da Saúde luxemburguesa, a conferência de imprensa que se realiza na segunda-feira contará ainda com o embaixador de Portugal no Luxemburgo, António Gamito, e com o embaixador de Cabo Verde no país, Carlos Semedo.

Entrada de portugueses no Luxemburgo aumentou pela primeira vez em cinco anos

Segundo os dados do site Worldometers, o Luxemburgo contabiliza 4.476 infetados e 110 mortes desde o início da pandemia. Está, este domingo, em 92.º lugar na lista de países com mais casos positivos acumulados (a título de comparação, Portugal está em 39.º).

Dados de janeiro de 2019 do organismo oficial de estatísticas luxemburguês, Portail des Statistiques du Luxembourg, apontam que viviam, nessa altura, cerca de 95 mil portugueses no Luxemburgo (o que representa cerca de 15% da população total do país).

Share:

Geef een reactie