Luanda Leaks. Miguel Relvas pediu a Catarina Martins para se retratar publicamente, líder do BE admite que errou – Expresso

“Não me custa corrigir o erro”, declara Catarina Martins, via Twitter. A coordenadora do Bloco de Esquerda (BE) responde assim ao pedido de retratação pública exigido por Miguel Relvas, feito esta sexta-feira, acusando-a de mentir quando o associou a Isabel dos Santos.

A líder do BE continua a disparar, apenas aponta um pouco mais a mira. O ex-ministro dos Assuntos Parlamentares de Passos Coelho “foi administrador da Finertec, empresa dirigida por responsáveis da Fundação José Eduardo dos Santos e com acionista escondido off shore”. Por isso, “a acusação é a mesma”.

Catarina Martins junta ao tweet um link para um artigo publicado pela “Visão”, em junho de 2012, sobre a Finertec, da qual Relvas se desvinculou em 2011, antes de entrar para o Governo. A empresa com sede em Lisboa e ligações a Angola era então alvo da Operação Furacão, por suspeitas de fraude e evasão fiscal.

Miguel Relvas resistiu e manteve então o cargo de ministro, mas caiu na sequência do caso da licenciatura tirada na Universidade Lusófona, que acabou por ser considerada “nula” pelo Tribunal Administrativo de Círculo de Lisboa. Pediu a demissão em abril de 2013, alegando alegando falta de força anímica.

O pedido de retratação feito por Miguel Relvas surge na sequência de declarações de Catarina Martins, citadas pela agência Lusa. Disse então que, ao longo dos anos, assistiu-se a responsáveis governativos a alternarem “entre pastas do Governo e trabalhar nas empresas de Isabel dos Santos”, como Mira Amaral ou Miguel Relvas, ou “à proximidade imensa de Durão Barroso”, ex-primeiro-ministro e presidente da Comissão Europeia.

Share:

Geef een reactie