A mulher a quem Marcelo augurou um bom futuro chega a ministra – Jornal de Notícias

Especialista em Direito Administrativo, Alexandra Leitão muda-se da Educação para a Modernização do Estado e da Administração Pública e é promovida a ministra. O perfil combativo deu-lhe notoriedade e fê-la subir na hierarquia do partido. A sua promoção era expectável.

Enquanto secretária de Estado Adjunta liderou as batalhas mais duras e contestadas na última legislatura no ministério de Tiago Brandão Rodrigues: o corte nos contratos de associação e a recuperação do tempo de serviço congelado dos professores.

Militante da JS desde 1991 só entrou no secretariado nacional do PS em maio de 2018, quando Costa quis fazer uma renovação daquele órgão. Foi pela primeira vez candidata a deputada estas legislativas, sendo cabeça de lista pelo círculo de Santarém. Herda as pastas de Maria Manuel Leitão Marques que, desde a sua saída do Governo para Bruxelas, tinham sido acumuladas por Mariana Vieira da Silva, que se mantém à frente do ministério da Presidência.

Na Educação, o seu nome fica associado ao programa de gratuitidade dos manuais. O corte no financiamento aos colégios terá permitido, admitiu em entrevistas, uma poupança de 100 milhões de euros. Defendeu o ministério e o Governo na luta contra a recuperação do tempo de serviço dos professores. Foi ela que conduziu a maratona negocial de 18 horas que culminou com a assinatura do memorando de entendimento com os sindicatos em novembro de 2017 (que desbloqueou a aprovação do Orçamento do Estado para 2018) e que desde então conduziu as negociações com os docentes.

Em crónicas, chegou a defender “a reposição da verdade contra mentiras divulgadas”, como o compromisso de o Governo repor o tempo integral de serviço congelado. Elogiou, por diversas vezes, a “geringonça” como solução governativa. Numa entrevista recente ao “Diário de Notícias”, já enquanto candidata do PS, defendeu que a estabilidade governativa não depende de haver maioria absoluta.

Alexandra Leitão é licenciada, mestre e doutorada em Direito pela Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa, com uma média de 18 valores. Foi assistente da Faculdade de Direito da UL entre 1996 e 2011. Marcelo Rebelo de Sousa foi seu professor e marcou-lhe o percurso académico, prevendo que a aluna teria um futuro promissor na política nacional. Tem 46 anos, é mãe de duas filhas, lisboeta, sportinguista e fã de Bruce Springsteen.

Share:

Geef een reactie

Het e-mailadres wordt niet gepubliceerd. Vereiste velden zijn gemarkeerd met *