Síria. Pelo menos nove civis foram hoje executados no âmbito de ofensiva turca – SAPO 24

“Os nove civis foram executados em momentos diferentes, ao sul da cidade fronteiriça de Tal Abyad”, disse o Observatório Sírio para os Direitos Humanos (OSDH).

Entre as vítimas estão o líder de um partido político curdo e o seu motorista, de acordo com uma declaração do Conselho Democrático da Síria, o braço político da aliança dos combatentes curdos e árabes das Forças Democráticas da Síria (SDF).

Hevrin Khalaf “foi retirado do seu carro (…) e executado pelos mercenários, apoiados pela Turquia, na estrada entre Qamichli e Minbej”, lê-se na declaração do Conselho Democrático Sírio.

De acordo com aquela entidade, o motorista teve o mesmo destino.

Na quarta-feira, forças turcas e aliados sírios lançaram uma ofensiva no nordeste da Síria para retirar a milícia curda síria das Unidades de Proteção do Povo (YPG) da fronteira turca.

Esses combatentes sírios são ex-rebeldes, que lutaram contra o regime de Bashar al-Assad. Mas com a evolução do conflito e o enfraquecimento da rebelião, essas fações agora são financiadas e treinadas por Ancara.

Nas redes sociais e entre ativistas curdos, circularam dois vídeos, um deles mostra dois homens vestidos com roupas civis, agachados no chão, enquanto um combatente anuncia que foram capturados pelos rebeldes de Ahrar al-Sharkiya.

Este vídeo, no qual não há execução, foi colocado na conta daquela fação na rede social Twitter, com uma foto mostrando os dois homens detidos ajoelhados.

No segundo vídeo, um dos combatentes, não identificado, abre fogo contra uma pessoa vestida com roupas civis.

O OSDH confirmou a autenticidade desses vídeos, mas a AFP não pôde verificá-los de modo independente.

Essas execuções elevam para 38 o número de civis mortos desde o início da operação militar turca na quarta-feira, de acordo com o OSDH. Além disso, 81 combatentes curdos foram mortos nos confrontos, segundo uma última avaliação desta ONG.

O Ministério da Defesa turco garantiu repetidamente que todas as medidas foram tomadas para evitar baixas civis na sequência da sua ofensiva na Síria.

Share:

Geef een reactie

Het e-mailadres wordt niet gepubliceerd. Vereiste velden zijn gemarkeerd met *